mangueira-aguaquente-375AA.png
mangueira-aguaquente-395BT.png
mangueira-aguaquenteevapor-340AH.png

375AA

Água quente-aquecimento de automóveis 10 bar (150 psi)
Tubo: EPDM de cor preta
Reforço: Cordões têxteis de alta tenacidade
Cobertura: EPDM de cor preta - resistente ao calor, à abrasão e ao
ozônio
Uso: Uso geral-água quente. Especialmente concebido para sistemas
de aquecimento em automóveis
Fator de Segurança: 3:1
Temperatura: -35 °C +100 °C (-31 °F +212 °F)

395BT

Água quente para lavagens
50 bar (750 psi) EU 10/2011 A+B+C

Tubo: PVC de cor cinza, atóxico
Reforço: Cordões têxteis de alta tenacidade
Cobertura: Elastómero sintético de cor azul claro - resistente à
abrasão e ao ozônio
Uso: Água quente para lavagens. Especialmente concebido para a
indústria de alimentos e laticínios. Concebido para 50 bar a 70 ° C
uso contínuo. Qualidade alimentar
Fator de Segurança: 3:1
Temperatura: -10 °C +70 °C (+14 °F +158 °F)

340AH

Vapor 18 bar (270 psi) Trançado de aço
Tubo: EPDM de cor preta, condutiva
Reforço: Cordões de aço trançados de alta tenacitade
Cobertura: EPDM de cor vermelha - resistente ao calor, à abrasão e
ao ozônio - micro-perfurada
Uso: Vapor saturado e superaquecido
Fator de Segurança: 10:1
Temperatura: -40 °C +210 °C (-40 °F +410 °F)
intermitente até 232 °C (450 °F)

mangueira-aguaquente-352AA.png
mangueira-aguaquente-351LG.png
mangueira-aguaquente-354AA.png

352AA

Radiador 5 bar (75 psi)
excede a DIN 73411 SAE 20R1 D-2

Tubo: EPDM de cor preta
Reforço: Cordões têxteis de alta tenacidade
Cobertura: EPDM de cor preta - resistente ao calor, à abrasão e ao
ozônio
Uso: Radiador
Fator de Segurança: 3:1
Temperatura: -40 °C +120 °C (-40 °F +248 °F)

351LG

Água quente para lavagens 10 bar (150 psi) Agulheta embutida
Tubo: EPDM de cor branca
Reforço: Cordões têxteis de alta tenacidade
Cobertura: EPDM de cor verde - resistente ao calor, à abrasão e ao
ozônio
Uso: Água quente e fria para lavagens em fábricas de papel e na
indústria de alimentos, onde são necessários bicos de borracha
embutidos para evitar danos sobre o equipamento e o piso
Fator de Segurança: 4:1
Temperatura: -40 °C +120 °C (-40 °F +248 °F)

354AA

Vapor 6 bar (90 psi) EN ISO 6134/1A
Tubo: EPDM de cor preta, condutiva
Reforço: Cordões têxteis de alta tenacidade
Cobertura: EPDM de cor preta, condutiva - resistente ao calor, à
abrasão e ao ozônio
Uso: Vapor saturado
Fator de Segurança: 10:1
Temperatura: -40 °C +165 °C (-40 °F +330 °F)

Guia de segurança para mangueiras de vapor

(Reproduzido a partir da RMA IP-11-1 Mangueiras de Vapor)
Manusear vapor é uma situação muito perigosa. Com cuidado e algumas medidas de segurança pode minimizar ou eliminar danos pessoais ou materiais.
COMO SELECIONAR E UTILIZAR MANGUEIRAS DE VAPOR
1. Assegure-se que a mangueira de vapor está mesmo identificada como uma mangueira de vapor. Deve estar marcada como tal, explicitando qual a pressão de trabalho e classificação de temperatura.
2. Certifique-se de que a pressão de funcionamento e a temperatura não são excedidas.
3. Não permita que as mangueiras permaneçam sob pressão quando não estiverem em uso.
4. Evite o excesso de flexão, ou flexionar a mangueira perto do acoplamento. São preferíveis operações em linha reta. Se for necessário fazer curvas como parte do funcionamento, então o uso de molas de protecção pode ajudar.
5. Certifique-se e use acoplamentos e braçadeiras recomendadas para mangueiras de vapor.
MANUTENÇÃO DE MANGUEIRAS DE VAPOR
1. A inspeção periódica da mangueira deve incluir procurar bolhas e saliências na cobertura.
2. Verificar se há áreas torcidas que possam danificar a mangueira.

3. Drenar a mangueira após cada uso para evitar danos no tubo antes de colocar a mangueira de novo em operação, para evitar a “pipocagem” do tubo.
4. Verificar o aperto dos parafusos das braçadeiras após cada utilização.
5. Verificar se as metades das braçadeiras estão se tocando. Se estiverem, re-acoplar a mangueira com braçadeiras menores para garantir o aperto ou aderência adequado ao redor da mangueira.

6. Não guarde a mangueira sobre ganchos.

7. Deitar mangueiras de vapor sobre prateleiras de metal ou instaladas à volta de tubos de aço seca a mangueira, fazendo com que o tubo e a cobertura fiquem com rachaduras.

8. Para serviços em aplicações abaixo-de-zero, use somente mangueiras de clorobutilo.
VAPOR CORROSIVO
Quando a água utilizada para gerar vapor contém ar, oxigénio ou dióxido de carbono dissolvido, então estes gases acabam como contaminantes do vapor. A altas temperaturas de vapor, tanto o oxigênio como o dióxido de carbono são extremamente corrosivos.

O dióxido de carbono é ácido e portanto ataca os metais, enquanto o oxigênio corrói metais e oxida as borrachas. A corrosão de metais na presença tanto de oxigénio como de ácidos é quarenta vezes mais rápida do que com qualquer deles sozinho. A água das caldeiras é por conseguinte tratada normalmente, não só para eliminar a “dureza” que causaria “incrustações” da caldeira, mas também para remover o oxigénio e o dióxido de carbono dissolvidos e para assegurar que o vapor não só não é ácido, mas mesmo ligeiramente alcalino. O
tratamento da água da caldeira é um assunto especializado que vai para além do âmbito desta ficha técnica, mas é importante que haja uma correta geração de vapor.

DETERIORAÇÃO DE MANGUEIRAS DE VAPOR
Como todos os produtos de borracha, as mangueiras de vapor têm uma vida útil finita e estão sujeitas a deterioração gradual com o uso.

No entanto, por vezes acontece que as mangueiras que têm tido uma boa vida útil, de repente começam a falhar sem motivo aparente. Em tais casos, é devido muitas vezes a uma mudança nas condições do vapor, provocando uma rápida aceleração de um modo de falha normal. Portanto, é útil considerar como as mangueiras de vapor normalmente duram, assim como de que maneira as condições do vapor afetam a vida útil da mangueira.

 

Fonte: catálogo mangueiras industriais alfagomma.

guia-de-seguranca-mangueiras_vapor.png